Página inicialDestaquesNovo fechamento dos parques de montanha alerta para autorresponsabilidade

Novo fechamento dos parques de montanha alerta para autorresponsabilidade

Pico Paraná. Foto Gislene Bastos

Durou pouco mais de um mês a reabertura dos Parques Estaduais que ficam na região de Curitiba. Os passeios nas montanhas que integram os Parques Estaduais Pico Paraná, Pico do Marumbi, Serra da Baitaca e Ibicatu estão novamente proibidos por determinação do governo do Estado. Além da crise hídrica, que se prolonga desde março, os incêndios ocorridos na mata no último final de semana foram determinantes para o novo fechamento. As atividades estão suspensas a partir desta sexta-feira (18) por tempo indeterminado.  

Por trás da decisão tomada em conjunto entre o Instituto Água e Terra (IAT), vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Secretaria de Segurança Pública, Corpo de Socorro das Montanhas, Federação Paranaense de Montanhismo (Fepam) e as prefeituras de Piraquara, Quatro Barras e de Campina Grande do Sul, estão as consequências danosas para a natureza e a vida que a atitude de alguns poucos gera.

Entrada irregular por propriedades particulares, acampamentos e fogueiras são práticas inaceitáveis em qualquer época porque aumentam o risco de incêndios florestais. E tudo isso voltou a ocorrer… Quem não sabe lidar com a liberdade oferecida perde o benefício. É o simples correr de causa e consequência. Essas fogueiras defendidas por trilheiros, que dizem tomar todos os “cuidados necessários”, são uma armadilha, reforçou o coronel Adilson dos Santos, do Batalhão da Polícia Ambiental – Força Verde, ao defender o novo fechamento.

E não é difícil entender e concordar. Qualquer pessoa que já acendeu um fogo no quintal de casa, sabe que depois de apagadas as chamas podem rapidamente reacender com a ação do vento nos galhos secos… Imagine isso no meio de uma Unidade de Conservação, com a vegetação “esturricada” meses após meses com chuvas irregulares!

As autoridades também se assustaram com o grande número de pessoas que continuam buscando refúgio em meio à natureza, mesmo em tempos de pandemia. Ou, justamente, por causa dela. O fato é que tem pessoas demais nas trilhas. E gente demais fazendo coisas erradas demais para a coletividade. Muitas vezes não respeitando as trilhas, invadindo áreas reservadas à preservação ambiental, fazendo aglomeração, não usando máscaras corretamente e descartando lixo na mata ou até nos rios.

Precisa de mais algum argumento para você também concordar com esse fechamento? A Portaria IAT nº 269/2020 determina que visitantes flagrados no interior desses Parques Estaduais estarão sujeitos a advertências e multa no valor mínimo de R$1.500, de acordo com o Decreto Federal nº 6.514/2008, Artigo 92. E donos de terrenos próximos às unidades que facilitarem ou induzirem o acesso de pessoas não autorizadas também receberão penalidades por crime ambiental. E para os que pensam como “dar um jeitinho”, fica o aviso: oficiais do Batalhão de Polícia Ambiental e voluntários da Fepam vão fiscalizar as áreas de proteção.

Nas outras regiões do Paraná, os Parques Estaduais reabertos no dia 15 de agosto,  continuam em funcionamento. Mas, os municípios podem optar pelo fechamento também. Tudo depende de como exercemos a nossa responsabilidade e consciência ambiental.

Sem comentários

comente