Página inicialEscolha VerdeTecnologia e sustentabilidade no Ibirapuera

Tecnologia e sustentabilidade no Ibirapuera

oportunidades-no-e-wasteVocê está em São Paulo? Até domingo a Bienal do Parque do Ibirapuera é sede do Greenk Tech Show E, como o nome em inglês já sugere, trata-se de um evento voltado às áreas de tecnologia e sustentabilidade das mais variadas formas. O descarte correto do lixo eletrônico é um dos pilares das discussões, exposições e feira. De acordo com os levantamentos do setor, só 2% do e-lixo produzido no país tem descarte adequado. O ingresso individual custa R$ 130, mas quem levar smartphones, tablets, mouses, fios, teclados e todo tipo de resíduo eletrônico que possa ser reciclado poderá pagar meia entrada. Os equipamentos serão desmontados e tudo encaminhado para reaproveitamento na indústria.
Arenas temáticas oferecem atrações para segurar o visitante o dia inteiro! Na Arena do Conhecimento e Educação os debates são sobre tecnologia, sustentabilidade e as profissões do futuro.Já a Arena Games traz um campeonato organizado pela ESL Brasil, principal produtora de conteúdo em eSports, com a participação de alguns dos youtubers mais populares do país.
TOP-BANNER_04
Outras duas disputas também chamam a atenção. Uma delas, o Champions Challenger for Causes – ou apenas TripleC, tem organização da FIFA 17 e reúne jogadores profissionais, craques campeões de futebol, e youtubers famosos em prol de causas sociais representadas por doze ONGs, como a Fundação SOS Mata Atlântica e o Hospital Pequeno Príncipe, de Curitiba.
Também merece uma atençãozinha extra a proposta do pessoal do MiranteLab, empreendimento que tem sede no 30º andar do Mirante do Vale, o edifício mais alto de São Paulo. Eles estão acostumados a olhar de cima e no Greenk Tech Show promovem uma competição de drones – um desafio e tanto em que além da velocidade do drone está em jogo a habilidade do piloto em manter e direcionar o equipamento durante o voo. Visitantes mais apaixonados ainda poderão aprender a construir o próprio brinquedinho. De acordo com Guilherme Kominami, que criou o MiranteLab com o sócio Carlos Cândido, o drone de brinquedo é feito em impressora 3D “e ele voa de verdade”. No domingo serão vinte vagas na oficina e cinco desses drones serão sorteados entre os participantes. No vídeo abaixo tem imagens da primeira corrida de drones de São Paulo, disputada em janeiro.

Sem comentários